EFICIENCIA ENERGÉTICA. ¡Haga que el aumento de TARIFAS de Gas y Electricidad sea una oportunidad! Las empresas que utilizan más eficientemente la energía, usan menos recursos para lograr las mismas metas, reduciendo costos, preservando valiosos recursos de la naturaleza y ganando competitividad sobre las demás empresas. Nosotros lo podemos ayudar a lograrlo con nuestras Clases, Charlas, Conferencias y Seminarios de Eficiencia Energética para Empresas, en el mismo predio de las empresas. Consultas: jandreotti@fibertel.com.ar

sábado, 23 de marzo de 2013

Província do Namibe vai ter o primeiro parque eólico de Angola

Para acceder a la nota en español, haga click aquí

O projecto de construção em Tômbwa, província do Namibe, do primeiro parque eólico de Angola, com uma capacidade a instalar de 100 megawatts, está avaliado em mais de 17 mil milhões de kwanzas (177 milhões de dólares), disse quarta-feira em Lubango o ministro da Energia e Água, João Baptista Borges.
A ser construído com base numa parceria público-privada, as obras poderão iniciar-se no final do ano e, quando estiver em funcionamento, o parque poderá funcionar também como centro de formação e experimentação de novas tecnologias, de acordo com a agência noticiosa angolana Angop.


O parque eólico, adiantou o ministro, vai beneficiar, além da cidade de Tômbwa, as cidades de Namibe e do Lubango, ao ficar associado a um sistema de transporte que vai unir a região sul ao centro, através de um ramal eléctrico que terá origem em Tômbwa e passar pelo Namibe, Lubango, Matala e Jamba até à província do Huambo.
Este projecto prevê ainda a ligação entre a central eléctrica do Ngove (Huambo) com a de Luma 1 (Moxico), criando assim uma interligação entre os sistemas centro e sul, o que vai criar uma rede eléctrica nacional flexível e de melhor qualidade.
João Baptista Borges esclareceu que a esta ligação vai se juntar também a linha de Cambambe até ao Kwanza Sul e Benguela, permitindo criar uma rede eléctrica nacional interligada.

Durante a sua estada na cidade do Lubango, o ministro visitou a central térmica do Lubango, cidade onde está a ser instalada uma outra também com capacidade de gerar 40 megawatts. (macauhub). No âmbito da visita ao Lubango, o ministro revelou também que o Executivo de Eduardo dos Santos tenciona criar, nos próximos meses, oito empresas provinciais de águas, que vão centrar-se no fornecimento e manutenção dos serviços, tendo em conta o Plano Nacional de Águas.

Namibe

Província a sudoeste de Angola cuja capital é a cidade de Namibe, com 132 000 habitantes 
(2004).Confinada pelo oceano Atlântico (a oeste), pela Namíbia (a sul) e pelas províncias 
angolanas de Benguela(a norte), Huíla (a este) e Kunene (a sudeste), a província de Namibe
 tem uma superfície de 57 091 km2 e uma população estimada em 168.000 habitantes (2004), 
constituída, na sua maioria, pelo povo étnico dos Mucubais.

A economia da província de Namibe assenta, essencialmente, nas atividades agropecuárias e 
pesqueiras e nas indústrias derivadas. Na área da agricultura, salienta se a produção de oliveira, 
vinha, mandioca,batata doce, melão, melancia, massango, milho, massambala, feijão, tabaco, 
café, algodão e citrinos. Otipo de gado mais usual é o bovino, caprino e ovino. O setor 
pesqueiro é um dos mais importantes do país,constituindo cerca de 65% da atividade nacional.
 Este setor apresenta algumas infraestruturas de pesca artesanal e industrial que, no entanto, 
precisam de apoios para o seu desenvolvimento e a sua reabilitação.Quanto aos minerais, 
a região é abundante em cobre, gesso, mercúrio, zinco, cobalto, crómio, titânio,talco, berilo, 
pirocloro, apatite e quartzo e, relativamente às matérias rochosas, destaca-se gnaisse,mármore, 
xistos, granito e calcário.



No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada